Oralidades em tempos de possessões afroindígenas

Jerônimo da Silva e Silva, Agenor Sarraf Pacheco

Resumo


Neste ensaio, seguindo rastros da metodologia da história oral, através de entrevistas com diferentes moradores, e mapeando discursos midiáticos, discutiremos sentidos de possessões indígenas e africanas em populações que habitam a Amazônia Bragantina. A base teórica parte dos estudos culturais e pós-coloniais, alcançando a antropologia das religiões para acompanhar possessões coletivas em crianças e adolescentes do sexo feminino na Vila Socorro (km 14), no município de Traquateua (PA). Completamos o enredo do texto, apresentando o jovem xamã Cristiano que, ao operar com poderes do Caboclo Flechador, frente a entidades incorpóreas, mortos-vivos e demônios, desvela sentidos e memórias que povoam corpos e dons espirituais emergentes no seio das populações locais. A interpretação aponta que a avaliação apressada dos acontecimentos como “fenômenos sobrenaturais” pelos meios de comunicação silencia tradições de culturas afroindígenas neste portal da Amazônia brasileira.

Palavras-chave


oralidade, possessões, cultura afroindígena, Amazônia Bragantina

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE HISTÓRIA ORAL
www.historiaoral.org.br